G.E.T.U.H.

GRUPO ESPÍRITA TRABALHADORES DA ÚLTIMA HORA

É impossível falar sobre o Espiritísmo sem mencionar Yvonne do Amaral Pereira.

Yvonne nasceu no estado do Rio de Janeiro, em Rio das Flores no dia 24 de Dezembro de 1900.

Com apenas 29 dias de vida sofreu o primeiro episódio de Catalepsia ( ou morte aparente) , que veio a acontecer várias vezes durante sua vida, que segundo relatos, poderia ser devido ao fato de Yvonne ter se suicidado em encarnação anterior.

Nascida no seio de uma família espírita,com cinco irmãos mais novos e um mais velho,em família modesta, o que segundo ela, muito a beneficiou mantendo-a humilde e a compreender as necessidades do próximo.

Os exemplos de disciplina e austeridade dos pais, tiveram muita influencia no seu comportamento como médium. Com uma mediunidade muito ostensiva, entrava com muita facilidade em contato com os espíritos, através da visão e da audição.

Na sua autobiografia, Recordações da Mediunidade, obra que foi orientada pelo espírito Dr. Bezerra de Menezes, Yvonne declara que  aos 4 anos já via e conversava com os desencarnados.

Sendo detentora de uma mediunidade tão  ostensiva e tendo lembranças tão nítidas da sua última reencarnação, tinha um comportamento que a família considerava anormal.

Quando fez 12 anos, o pai ofereceu-lhe como presente "O Evangelho Segundo o Espiritismo" e o "Livro dos Espíritos", obras que a acompanharam e consolaram por toda sua vida.

Yvonne tinha uma mediunidade muito abrangente: vidência, audiência, psicografia, desdobramento, psicofonia, oratória, receituário, cura, efeitos físicos, psicometria e premunição. Algumas apareceram na infância e outras ao longo de sua vida.

Era uma medium extraordinária e sempre tinha cuidado com o que recebia do mundo espiritual, através da psicografia. Este cuidado era tanto, que chegou a guardar durante 29 anos a psicografia do Livro "Memórias de um Suicída", que recebeu em 1926, e que só deu à publicação em 1955, apenas após Chico Xavier e o espírito Dr. Bezerra de Meneses confirmarem ser verdade o que ali estava escrito.

Esperantista atuante, trabalhou na sua propaganda e difusão, através de correspondência que mantinha com outros esperantistas, tanto no Brasil, quanto no exterior.

Às 22 horas de 9 de Março de 1984, Yvonne Pereira foi submetida a uma operação de urgência, para colocar um marca passos, à qual não resistiu; ela já havia informado que não valeria a pena, e assim foi.

Após o desencarne, continuou a trabalhar junto aqueles que pensam suicidar-se, segundo sua biografia do escritor Pedro Camilo.

Yvonne do Amaral Pereira, merece sem dúvida, um lugar de destaque entre os grandes vultos do Espiritismo, não somente pelas obras que psicografou, mas também pela sua conduta e trabalho como médium por todos os sofredores, sendo obsidiados, obsessores e especialmente pelos suicidas.

A obra mediúnica de Yvonne Pereira monta a uma vintena de livros. Embora desde 1926 tenha escrito numerosas obras psicografadas, somente decidiu publicá-las na década de 50, segundo ela mesma, após muita insistência dos "mentores espirituais". Dentre as mais conhecidas destacam-se:

 

  • Memórias de um Suicida

  • Nas Telas do Infinito

  • Amor e Ódio

  • Tragédia de Santa Maria

  • Ressureição e Vida

  • Nas voragens do Pecado

  • O Drama da Bretanha

  • Dramas da Obsessão

  • Sublimação

  • Recordações da Mediunidade

  • Devassando o Invisível